Pular para o conteúdo principal

Sete Segredos que ele nunca vai contar pra você - Kevin Leman




Sinopse:

A maioria das pessoas que vive um relacionamento possui a expectativa de que pode mudar a outra. Para Kevin Leman, autor deTransforme seu marido até sexta, é como tentar tirar as manchas de um leopardo. O que você pode e deve fazer é compreender as características dele. É claro que cabe a ele entender quais são as suas, mas o propósito de Sete segredos que ele nunca vai contar para você é ajudar as mulheres a perceberem que o homem é muito mais simples do que parece. Em geral, são três necessidades básicas que precisam ser atendidas. E se você acha que se trata de sexo, futebol e comida, vai ficar surpresa ao ler as revelações de Kevin Leman. Por trás das necessidades básicas, há sete segredos que você precisa conhecer, e que ele nunca vai lhe contar, mas que o Dr. Leman revela para você! Para ele, os homens são muito menos complicados do que as mulheres pensam. No fundo, por trás de uma couraça de frieza, o homem é um ser sensível, emotivo e que deseja ser amado, sentir-se respeitado e necessário. Infelizmente ele não é alguém como você, que não se constrange em compartilhar os sentimentos. Por isso, compreender as necessidades essenciais do homem e adotar uma estratégia para relacionar-se bem com ele podem trazer o alívio e a renovação de que o relacionamento tanto precisa. À medida que conhecer os temores, as ansiedades e inseguranças próprias do ser masculino, seu relacionamento ganhará nova perspectiva, permitindo que aquilo que você mais deseja dele - ser amada - se torne a realidade tão almejada. Descubra os setes segredos que os homens escondem de você!

Eviamos via Sedex o PAC, conforme disponibilidade em estoque. Entre em contato
E-MAIL/MSN: plenitude.livraria@hotmail.com
Fone: (51) 3059-6659

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carnaval, Festa Pagã do Começo ao Fim

O Carnaval Pagão começa quando Pisistráto oficializa o culto a Dioniso na Grécia, no século VII a.C. e termina quando a Igreja católica adota, oficialmente, o carnaval em 590 d.C. A única diferença entre o carnaval da antiguidade para o moderno é que, no primeiro, as pessoas participavam das festas mais conscientes de que estavam adorando aos deuses. O carnaval era uma prática religiosa ligada à fertilidade do solo. Era uma espécie de culto agrário em que os foliões comemoravam a boa colheita, o retorno da primavera e a benevolência dos deuses. No Egito, os rituais eram oferecidos ao deus Osíris, por ocasião do recuo das águas do rio Nilo. Na Grécia, Dionísio, deus do vinho e da loucura, era o centro de toda as homenagens, ao lado de Momo, deus da zombaria.
Em Roma, várias entidades mitológicas eram adoradas a começar por Júpiter, deus da orgia, até Saturno e Baco, que era o deus da agricultura. Durante estas celebrações, conhecidas como “Saturnais” os escravos eram soltos e as pesso…

Saiba o que é a Festa de Hanuká

A Festa de Hanuká
Primeiramente, o que significa a palavra hebraica Hanuká? Hanuká  (ou Chanucá) significa consagração ou dedicação. Esta festa é também conhecida no meio judaico como Festa das Luzes. Em João 10:22, vemos Yeshua (Jesus) passeando no Templo na comemoração da Festa da Dedicação. Essa passagem é a única passagem bíblica no Novo Testamento que se refere à referida festa. Não encontramos esta celebração no Antigo Testamento porque o fato que deu origem a esta festa ocorreu no ano 162 a.C. Contexto Histórico
Vindo da Macedônia, o império grego expande-se de maneira significativa, conquistando desde o Egito, Oriente Médio, até a Índia. Depois da morte de seu grande Imperador, Alexandre (336-323 a.C.), vários generais lutam pelo controle do Império. O imperador selêucida, Antiochus Epiphanes (175-163 a.C.), conquista o domínio sobre a região do Oriente Médio e investe fortemente contra toda a região da Judéia, impondo os costumes, as tradições, a religião e o pensamento grego He…

Política do Pão e Circo até na Igreja?

“Quanto mais instruído o povo, tanto mais difícil de o governar…” Diz um Provérbio.





A política do Pão e circo (panem et circenses, no original em Latim) como ficou conhecida, era o modo com o qual os líderes romanos lidavam com a população em geral, para mantê-la fiel à ordem estabelecida e conquistar o seu apoio. Esta frase tem origem na Sátira X do humorista e poeta romano Juvenal (vivo por volta do ano 100 d.C.) e no seu contexto original, criticava a falta de informação do povo romano, que não tinha qualquer interesse em assuntos políticos, e só se preocupava com o alimento e o divertimento.  Assim, nos tempos de crise, em especial no tempo do Império, as autoridades acalmavam o povo com a a construção de enormes arenas, nas quais realizavam-se sangrentos espetáculos envolvendo gladiadores, animais ferozes, corridas de bigas, quadrigas, acrobacias, bandas, espetáculos com palhaços, artistas de teatro e corridas de cavalo. Outro costume dos imperadores era a distribuição de cereais …